Tipos de impressoras 3D e suas características

tipos de impressoras 3d

No artigo anterior fizemos uma espécie de introdução ao mundo das impressoras 3D. Agora é hora de se aprofundar um pouco mais nessa tecnologia, conhecendo mais sobre os segredos que essas equipes escondem, bem como os tipos de impressoras 3D que existem. Algo vital na hora de escolher o certo, pois todos têm suas vantagens e desvantagens, então sempre haverá um que esteja mais de acordo com suas necessidades.

Tipos de impressoras 3D de acordo com as tecnologias de impressão

Os tipos de impressoras 3D são muito numerosos, e podem ser classificados de acordo com vários critérios. Aqui estão alguns dos mais importantes:

famílias principais

3d de impressora

Assim como as impressoras convencionais também possuem várias famílias, as impressoras 3D podem ser classificadas principalmente em Grupos 3:

  • Tint: não é uma tinta comum, mas um composto em pó, como celulose ou gesso. A impressora construirá o modelo a partir desse conglomerado de poeira.
Vantagens Desvantagens
Método barato para produzir em grande volume. Peças muito frágeis que necessitam de tratamentos de endurecimento.
  • Laser/LED (óptica): é a tecnologia utilizada nas impressoras 3D de resina. Eles contêm basicamente um líquido em um reservatório e são submetidos à exposição a laser para solidificar a resina e à cura UV para endurecer. Isso faz com que o resina (fotopolímero à base de acrílico) é transformado em uma peça sólida com a forma que é necessária.
Vantagens Desvantagens
Você pode imprimir formas muito complexas. Eles são caros.
Precisão de impressão muito alta. Mais destinado ao uso industrial ou profissional.
Excelente acabamento superficial requerendo pouco ou nenhum pós-processamento. Eles podem gerar vapores tóxicos, por isso não são muito adequados para residências.
  • Injeção: são aqueles que usam principalmente filamentos (geralmente termoplásticos) como PLA, ABS, Tuvalu, nylon, etc. A ideia por trás dessa família é criar formas por deposição de camadas fundidas desses materiais (podem ser muito variadas). O resultado é uma peça robusta, porém mais lenta e com menos precisão que o laser.
Vantagens Desvantagens
modelos acessíveis. Eles são lentos.
Recomendado para amadores, uso doméstico e educação. Eles formam o modelo em camadas, e dependendo da espessura do filamento, o acabamento pode ser de qualidade inferior.
Multidão de materiais para escolher. Algumas peças contam com suportes que devem ser impressos para segurar a peça.
Resultados robustos. Eles precisam de mais pós-processamento.
Há muitas marcas e modelos para escolher.
Algumas impressoras 3D específicas, como concreto ou bioimpressão, podem ser baseadas em uma dessas famílias, mas com algumas modificações.

Uma vez conhecidas essas famílias, nas seções seguintes aprenderemos mais sobre cada uma delas e as tecnologias que podem existir.

Impressoras 3D de resina e/ou óptica

As resina e impressoras 3D ópticas Eles são um dos mais sofisticados e com os melhores resultados em seus acabamentos, mas também costumam ser bem mais caros. Além disso, eles também precisarão de máquinas adicionais, como lavagem e cura em alguns casos, pois essas funções não são integradas à própria impressora (ou nos casos em que a limpeza das peças em um MSLA é trabalhosa).

  • lavado: Após a impressão da peça 3D, é necessário um processo de lavagem. Mas, em vez de escovar e pulverizar a peça, você pode retirar a peça acabada da plataforma de construção e usar as máquinas de lavar. Estes funcionarão como um lava-jato automático, com uma hélice que gira magneticamente em seu interior e agita o líquido de limpeza (um tanque cheio de álcool isopropílico -IPA-) dentro da cabine hermeticamente fechada.
  • Cura: após a limpeza, é necessário também a cura da peça, ou seja, exposição aos raios ultravioleta que alteram as propriedades do polímero e o endurecem. Para isso, a estação de cura retira a peça do líquido de limpeza onde estava submersa, seca-a girando-a para atingir todos os lados. Feito isso, uma barra de LED UV começará a curar a peça, como se fosse um forno.

SLA (Estereolitografia)

Esta técnica de estereolitografia é um método bastante antigo que foi reformulado para impressoras 3D. É usada uma resina líquida fotossensível que endurece nos locais onde o feixe de laser atinge. É assim que as camadas são criadas até que a peça acabada seja alcançada.

Vantagens Desvantagens
Acabamento de superfície liso. Alto custo.
Capaz de imprimir padrões complexos. Menos amigo do ambiente.
Melhor para peças pequenas. Precisa de processo de cura após a impressão.
Rápido Você não pode imprimir peças grandes.
Variedade de materiais para escolher. Essas impressoras não são as mais duráveis ​​e robustas.
Compacto e fácil de transportar.

SLS (Sinterização Seletiva a Laser)

É outro processo de sinterização seletiva a laser semelhante ao DLP e SLA, mas em vez de um líquido será usado um pó. O feixe de laser irá derreter e aderir as partículas de poeira camada por camada até que o modelo final seja formado. As vantagens deste método é que você pode usar muitos materiais diferentes (nylon, metal,…) para criar peças difíceis de criar usando métodos tradicionais, como moldes ou extrusão.

Vantagens Desvantagens
A impressão em lote pode ser feita de maneira fácil.  Quantidade limitada de materiais.
O preço de impressão é relativamente acessível. Não permite a reciclagem do material.
Não precisa de suportes. Riscos potenciais à saúde.
Peças altamente detalhadas. As peças são quebradiças.
Bom para uso experimental. O pós-processamento é complicado.
Você pode imprimir peças maiores.

DLP (Processamento de Luz Digital)

Esta tecnologia de processamento de luz digital é outro tipo de impressão 3D semelhante ao SLA, e também usa fotopolímeros líquidos endurecidos à luz. Porém, a diferença está na fonte de luz, que neste caso é uma tela de projeção digital, focando nos pontos onde a resina precisa endurecer, agilizando o processo de impressão em relação ao SLA.

Vantagens Desvantagens
Alta velocidade de impressão. Consumíveis inseguros.
Grande precisão. Os consumíveis têm um custo elevado.
Pode ser bom para várias áreas de aplicação.
Impressora 3D com baixo custo.

MSLA (SLA Mascarado)

Ele é baseado na tecnologia SLA e compartilha muitos de seus recursos, mas é um tipo de tecnologia SLA mascarada. Ou seja, ele usa uma matriz de LED como fonte de luz UV. Ou seja, possui uma tela LCD através da qual é emitida uma luz que combina com o formato de uma camada, expondo toda a resina de uma vez e alcançando maiores velocidades de impressão. Ou seja, a tela está projetando fatias ou fatias.

Vantagens Desvantagens
Acabamento de superfície liso. Alto custo.
Capaz de imprimir padrões complexos. Menos amigo do ambiente.
Velocidade de impressão. Precisa de processo de cura após a impressão.
Variedade de materiais para escolher. Você não pode imprimir peças grandes.
Compacto e fácil de transportar. Essas impressoras não são as mais duráveis ​​e robustas.

DMLS (Sinterização Direta a Laser de Metal) ou DMLS (Sinterização a Laser de Metal PolyJet Direct)

Nesse caso, ele gera objetos de forma semelhante ao SLS, mas a diferença é que o pó não é derretido, mas aquecido pelo laser até o ponto em que pode fundir-se a nível molecular. Devido às tensões, as peças costumam ser um pouco quebradiças, embora possam ser submetidas a um processo térmico posterior para torná-las mais resistentes. Esta tecnologia é amplamente utilizada na indústria para a fabricação de peças metálicas ou de ligas.

Vantagens Desvantagens
Muito útil industrialmente. rostos.
Eles podem ser usados ​​para imprimir peças metálicas. Geralmente são grandes.
Não precisa de suportes. As peças podem ser quebradiças.
Peças altamente detalhadas. Necessita de um pós-processo que inclua o recozimento para fundir os metais ou outros tipos de materiais.
Você pode imprimir peças de vários tamanhos diferentes.

Extrusão ou deposição (injeção)

Quando falamos da família de impressoras que utilizam técnicas de deposição usando extrusoras de material, pode-se diferenciar entre as seguintes tecnologias:

FDM (Modelagem de Deposição Fundida)

Essas técnicas de modelagem deposição de material fundido para compor o objeto camada por camada. Quando um filamento é aquecido e derretido, ele passa por uma extrusora e o cabeçote se move nas coordenadas XY indicadas pelo arquivo com o modelo de impressão. Para a outra dimensão, use um deslocamento Z para as camadas sucessivas.

Vantagens Desvantagens
Fechado. São grandes máquinas para a indústria.
Grande variedade de materiais para escolher. Eles não são baratos.
Acabamentos de boa qualidade. Precisam de mais manutenção.

FFF (Fabricação de Filamentos Fundidos)

Diferenças entre FDM e FFF? Embora às vezes usado como sinônimo, FDM é um termo que se refere a uma tecnologia desenvolvida pela Stratasys em 1989. Em contrapartida, o termo FFF tem semelhanças, mas foi cunhado pelos criadores do RepRap em 2005.

Com a popularização das impressoras 3D e a Expiração da patente FDM em 2009, o caminho estava aberto para novas impressoras de baixo custo com uma tecnologia muito semelhante chamada FFF:

  • FDM: máquinas grandes e fechadas para uso em engenharia e com resultados de alta qualidade.
  • FFF: impressoras abertas, mais baratas e com resultados mais pobres e inconsistentes para aplicações em que são necessárias peças com propriedades muito específicas.
Vantagens Desvantagens
Eles são baratos. Superfície áspera das peças.
O filamento pode ser reutilizado. Empenamento (deformação) é frequente. Ou seja, uma parte do objeto que você está imprimindo é curvada para cima devido à diferença de temperatura entre as camadas.
Eles são simples. O bico tende a entupir.
Há uma grande variedade de materiais para escolher. Demora muito para imprimir.
São compactos e fáceis de transportar. Problemas de deslocamento de camada devido à falta de aderência entre as camadas.
Você pode encontrá-los tanto acabados quanto em kits para montar. Ponto fraco.
A cama ou suporte precisa de calibração frequente.

Outros tipos de impressoras 3D avançadas

Além dos tipos de impressoras 3D acima, ou tecnologias de impressão, existem outros que podem não ser populares para uso doméstico, mas são são interessantes para a indústria ou pesquisa:

MJF (Multi Jet Fusion) ou MJ (jateamento de material)

Outra tecnologia de impressão 3D que você pode encontrar é a MJF ou simplesmente MJ. Como o próprio nome sugere, é um processo que utiliza a injeção de materiais. Os tipos de impressoras 3D que adotaram esse método de impressão são destinados principalmente à indústria de joias, alcançando alta qualidade injetando centenas de minúsculas gotículas de fotopolímero e depois passando por um processo de fotopolimerização (solidificação) por luz UV (ultravioleta). .

Vantagens Desvantagens
Alta velocidade de impressão. Não possui materiais cerâmicos disponíveis comercialmente no momento.
Adequado para uso comercial. Tecnologia não muito difundida.
Alto grau de automação durante o processo de impressão e pós-processamento.

SLM (fusão seletiva a laser)

Trata-se de uma tecnologia avançada, com uma fonte de laser de altíssima potência, e as impressoras 3D deste tipo têm preços bastante elevados, pelo que destina-se ao uso profissional. De certa forma, eles são semelhantes à tecnologia óptica SLS, fundindo seletivamente por laser. Muito usado em derreter seletivamente pó de metal e gerar peças muito robustas camada por camada, evitando certos tratamentos posteriores.

Vantagens Desvantagens
Você pode imprimir peças metálicas com formas complexas. Quantidade limitada de materiais.
O resultado é uma peça precisa e robusta. São caros e grandes.
Não precisa de suportes. Seu consumo de energia é alto.
Adequado para uso industrial.

EBM (fusão de feixe de elétrons)

tecnologia fusão de feixe de elétrons é um processo de manufatura aditiva muito semelhante ao SLM e profundamente enraizado na indústria aeroespacial. Também é capaz de produzir modelos muito densos e robustos, mas a diferença é que em vez de um laser, um feixe de elétrons é usado para derreter o pó metálico. Esta tecnologia para uso industrial pode levar à fusão a temperaturas de 1000ºC.

Vantagens Desvantagens
Você pode imprimir peças metálicas com formas complexas. Quantidade muito limitada de materiais, pois atualmente só pode ser usado para certos metais, como ligas de cromo-cobalto ou titânio.
O resultado é uma peça precisa e robusta. São caros e grandes.
Não precisa de suportes. Seu consumo de energia é alto.
Adequado para uso industrial. Eles precisam de pessoal qualificado e medidas de proteção para seu uso.

BJ (Jato de ligante)

É mais um dos tipos de impressoras 3D existentes, com uma tecnologia utilizada a nível industrial. Neste caso, é use um pó como base para a fabricação de peças, com um aglutinante para formar camadas. Ou seja, utiliza pós do material em conjunto com uma espécie de adesivo que posteriormente será removido para que permaneça apenas o material base. Esses tipos de impressoras podem usar materiais como gesso, cimento, partículas de metal, areia e até polímeros.

Vantagens Desvantagens
Grande variedade de materiais para confecção das peças. Eles podem ser grandes em tamanho.
Você pode imprimir objetos grandes. Eles são caros.
Não precisa de suportes. Não é adequado para uso doméstico.
Adequado para uso industrial. Pode ser necessário adaptar o modelo a cada caso.

Concreto ou 3DCP

É um tipo de impressão que encontra cada vez mais interesse para o setor da construção. 3DCP significa 3D Concrete Printing, ou seja, impressão 3D de cimento. Um processo auxiliado por computador para criar estruturas de cimento por extrusão para formar camadas e assim construir paredes, casas, etc.

Vantagens Desvantagens
Eles podem construir estruturas rapidamente. Eles podem ser grandes em tamanho.
São de grande interesse para o setor da construção. São caros e complexos.
Eles poderiam permitir a construção de moradias mais baratas e sustentáveis. Cada caso precisará adaptar a impressora 3D especificamente.
Um desenvolvimento importante para a colonização de outros planetas.

LOM (Fabricação de Objetos Laminados)

O LOM engloba alguns tipos de impressoras 3D que são utilizadas para a fabricação de rolamento. Para isso, são utilizados tecidos, folhas de papel, chapas ou chapas metálicas, plásticos, etc., depositando folha por folha para as camadas e utilizando um adesivo para uni-las, além de utilizar técnicas de corte industrial para gerar a forma, como como pode ser o corte a laser.

Vantagens Desvantagens
Eles podem construir estruturas robustas. Não são impressoras 3D compactas.
Possibilidade de escolha entre matérias-primas muito diversas. São caros e complexos.
Podem ter aplicações no setor aeronáutico ou no setor de competição para determinados compósitos. Eles precisam de pessoal qualificado.

DOD (queda sob demanda)

Outra técnica de cair sob demanda usa dois jatos de 'tinta', um depositando o material de construção para o objeto e o outro um material solúvel para os suportes. Dessa forma, constrói camada por camada, utilizando ferramentas adicionais para formar o modelo, como um cortador de moscas que polia a área em construção. Desta forma, consegue uma superfície perfeitamente plana, razão pela qual é amplamente utilizado na indústria onde é necessária maior precisão, como na fabricação de moldes.

Vantagens Desvantagens
Perfeito para uso industrial. Eles podem ser grandes em tamanho.
Grande precisão nos acabamentos. São caros e complexos.
Eles podem imprimir objetos grandes. Eles precisam de pessoal qualificado.
Não precisa de suportes. Materiais um pouco limitados.

MME (Extrusão de Material Metálico)

Este método é muito semelhante ao FFF ou FDM, ou seja, consiste na extrusão de um polímero. A diferença é que isso polímero tem uma alta carga de pó de metal. Portanto, ao criar a forma, o pós-processamento (descolando e sinterização) pode ser feito para criar uma peça metálica sólida.

UAM (fabricação aditiva ultrassônica)

Este outro método usa folhas de metal que são camada por camada e fundidas por Ultrasonido para misturar as superfícies e criar uma peça sólida.

bioimpressão

Por fim, entre os tipos de impressoras 3D, não pode faltar uma das mais avançadas e interessantes para uso médico, entre outras aplicações da indústria. Se trata de tecnologia de bioimpressão, que pode ser baseado em algumas das técnicas anteriores, mas com particularidades. Por exemplo, há casos em que se baseiam em deposição de camadas, jatos de bioink (bioink), bioimpressão assistida por laser, pressão, microextrusão, SLA, extrusão direta de células, tecnologias magnéticas, etc. Tudo vai depender do uso que você quer dar, pois cada um tem suas potenciais vantagens e limitações.

A bioimpressão 3D tem três fases fundamentais que são:

  1. Pré-bioimpressão: é o processo de criação de um modelo, como modelagem 3D usando software de impressão 3D. Mas, neste caso, são necessárias etapas mais complexas para a obtenção do referido modelo, com exames como biópsias, tomografia computadorizada, ressonância magnética, etc. Desta forma você pode obter o modelo que será enviado para impressão.
  2. bioimpressão: Quando são utilizados os diferentes materiais necessários, como soluções líquidas com células, matrizes, nutrientes, bio-tintas, etc., e são colocados no cartucho de impressão para que a impressora comece a criar o tecido, órgão ou objeto.
  3. Pós-bioimpressão: é o processo anterior à impressão, como foi o caso da impressão 3D, também existem vários processos anteriores. Eles podem ser para gerar uma estrutura estável, maturação tecidual, vasculação, etc. Em muitos casos, biorreatores são necessários para isso.
Vantagens Desvantagens
Possibilidade de impressão de tecidos vivos. Complexidade.
Poderia resolver o problema da escassez de órgãos para transplante. Custo destes equipamentos avançados.
Elimine a necessidade de testes em animais. Necessidade de pré-processamento, além do pós-processamento.
Velocidade e precisão. Ainda em fase experimental.

Tipos de impressoras 3D de acordo com os materiais

Carretel de impressora PLA 3d

Outra maneira de catalogar impressoras 3D é o tipo de material em que podem imprimir, embora algumas impressoras 3D domésticas e industriais aceitem uma variedade de materiais para impressão (desde que tenham características semelhantes, como ponto de fusão,…), assim como uma impressora convencional pode usar diferentes tipos de papel.

impressoras 3D metálicas

metal impresso

Todos os metais não são adequados para diferentes tipos de impressoras 3D. De fato, usando algumas das tecnologias vistas acima, apenas algumas podem ser manuseadas. O pós metálicos mais comuns usados ​​na manufatura aditiva são:

  • Aço inoxidável (vários tipos)
  • Aço ferramenta (com composição de carbono diferente)
  • Ligas de titânio.
  • Ligas de alumínio.
  • Superligas à base de níquel, como Inconel (uma liga austenítica de Ni-Cr).
  • Ligas de cromo-cobalto.
  • Ligas à base de cobre.
  • Metais preciosos (ouro, prata, platina,…).
  • Metais exóticos (paládio, tântalo,…).

impressoras de alimentos 3D

carne estampada

Fonte: REUTERS/Amir Cohen

É cada vez mais comum encontrar Impressoras 3D para fazer comida usando métodos de manufatura aditiva. Neste caso, alguns dos mais comuns são:

  • Componentes funcionais (prebióticos, probióticos, minerais, vitaminas, ácidos graxos, fitoquímicos e outros antioxidantes).
  • Fibra.
  • Gorduras
  • Diferentes tipos de carboidratos, como farinha e açúcar.
  • Proteínas (animais ou vegetais) para formar texturas semelhantes à carne.
  • Hidrogéis, como gelatina e alginato.
  • Chocolates.

impressoras 3D de plástico

Plásticos 3D

Claro, um dos materiais mais utilizados para impressão 3D, especialmente para impressoras 3D domésticas, é os polímeros:

Sendo tão populares e numerosos, vamos dedicar um artigo especialmente para eles.
  • Plásticos como PLA, ABS, PET, PC, etc.
  • Polímeros de alto desempenho como PEEK, PEKK, ULTEM, etc.
  • Poliamidas sintéticas do tipo têxtil, como nylon ou nylon.
  • Solúvel em água, como HIPS, PVA, BVOH, etc.
  • Flexível como TPE ou TPU, como as capas de silicone para celular.
  • Resinas à base de polimerização.

Além disso, se você for usar uma impressora 3D para imprimir objetos para uso em alimentos, como xícaras, copos, pratos, talheres, etc. plásticos seguros para alimentos:

  • PLA, PP, co-poliéster, PET, PET-G, HIPS, nylon 6, ABS, ASA e PEI. Se você vai usá-los para lavar na máquina de lavar louça ou suportar temperaturas mais altas, descarte nylon, PLA e PET, pois eles tendem a se deformar em temperaturas entre 60-70ºC.

Biomateriais

sistema vascular bioimpresso

Fonte: BloodBusiness.com

Em relação a Bioimpressão 3D, você também pode encontrar uma grande variedade de produtos e materiais:

  • polímeros sintéticos.
  • Ácido poli-L-láctico.
  • Biomoléculas, como o DNA.
  • Biotintas de baixa viscosidade com células em suspensão (células específicas ou células-tronco). Com ácido hialurônico, colágeno, etc.
  • Metais para próteses.
  • Proteínas
  • Compósitos.
  • Gelatina agarose.
  • materiais fotossensíveis.
  • Resinas acrílicas e epóxi.
  • Polibutileno Tereftalato (PBT)
  • Ácido Poliglicólico (PGA)
  • Poliéter Éter Cetona (PEEK)
  • poliuretano
  • Álcool Polivinílico (PVA)
  • Ácido polilático-co-glicólico (PLGA)
  • Quitosana
  • Outras pastas, hidrogéis e líquidos.

Compostos e híbridos

fibra de carbono, compostos

Há também outros compostos híbridos para impressoras 3D, embora tendam a ser mais exóticas e muito diversas:

  • À base de PLA (70% PLA + 30% outro material), como madeira, bambu, lã, filamentos de cortiça, etc.
  • Compósitos (fibra de carbono, fibra de vidro, kevlar, etc.).
  • Alumina (mistura de polímeros e pós de alumínio).
  • Cerâmica. Alguns exemplos são porcelana, terracota, etc.
    • Óxidos metálicos: alumina, zircão, quartzo, etc.
    • Não à base de óxidos: carbonetos de silício, nitreto de alumínio, etc.
    • Biocerâmicas: como hidroxiapatita (HA), fosfato tricálcico (TCP), etc.
  • Compostos à base de cimento, como diferentes tipos de argamassa e concreto.
  • Nanomateriais e materiais inteligentes.
  • E muitos outros materiais inovadores que estão por vir.

De acordo com os usos

Por último, mas não menos importante, vários tipos de impressoras 3D também podem ser catalogados de acordo com o uso o que será dado:

impressoras 3D industriais

impressora 3d industrial

As impressoras 3D industriais Eles são um tipo muito particular de impressora. Eles costumam ter tecnologias avançadas, além de serem consideravelmente grandes em tamanho, e custam milhares de euros. Eles são projetados para uso na indústria, para serem fabricados com rapidez, precisão e em grandes quantidades. E podem ser usados ​​em setores como aeronáutica, eletrônica e semicondutores, farmacêutico, veículos, construção, aeroespacial, automobilismo, etc.

Os preços de impressoras 3d industriais pode oscilar de € 4000 a € 300.000 em alguns casos, dependendo do tamanho, marca, modelo, materiais e características.

Grandes impressoras 3D

impressora 3d

Embora este tipo de grandes impressoras 3d poderiam ser incluídos dentro dos industriais, é verdade que existem alguns modelos projetados para uso fora da indústria, como algumas impressoras capazes de imprimir peças grandes para os fabricantes que precisam, para pequenas empresas, etc. Estou me referindo aos modelos que não são tão grandes e caros quanto os industriais, como Anycubic Chiron, Snapmaker 3D, Tronxy X5SA, Tevo Tornado, Creality CR 10S, Dremer DigiLab 3D20, etc.

impressoras 3D baratas

impressora 3d barata

Muitos kits de montagem Impressoras 3D para uso doméstico, ou alguns projetos de código aberto, como Prusa, Lulzbot, Voron, SeeMeCNC, BigFDM, Creality Ender, Ultimaker, etc., além de outras marcas que vendem impressoras 3D compactas, também trouxeram a impressão 3D para muitos lares. O que antes apenas algumas empresas podiam pagar, agora pode ter um preço semelhante ao das impressoras convencionais.

Geralmente, essas impressoras são destinado a uso privado, como entusiastas ou fabricantes de bricolage, ou para alguns freelancers que precisam criar determinados modelos ocasionalmente. Mas eles não são projetados para criar grandes modelos, nem de forma massiva nem rápida. E, em sua maioria, são feitos com resina ou filamento de plástico.

Lápis 3D

lapiz 3d

Finalmente, para completar este artigo, eu não queria me deixar para trás lápis 3D. Eles não são um dos tipos de impressoras 3D como tal, mas têm um objetivo comum e podem ser muito práticos para criar alguns modelos simples, para crianças, etc.

eles têm um preço muito barato, e basicamente são pequenas impressoras 3D portáteis em forma de caneta com o qual fazer desenhos com volume. Costumam utilizar filamentos plásticos como PLA, ABS, etc., e seu funcionamento é muito simples. Eles basicamente se conectam a uma tomada elétrica e aquecem como ferros de solda ou pistolas de cola quente. É assim que eles derretem o plástico que fluirá pela ponta para criar o desenho.

Mais informações


Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.